Ruas

Ruas Esburacadas 
Outras pavimentadas
Sempre movimentadas 
Tomadas pelos homens 
Motores e pernas 
Eles correm 
O dever os espera 
Indiferente aos que sofrem 
Aqueles que habitam as ruas
A realidade é nua e crua 

Veio o menino e falou "Tio eu to com fome" 
Mas o doutor não tem tempo 
Ta atrás do sustento 
Da sua amada família 
Subiu de cargo, viva a meritocracia! 
Só jogou uma moeda e nem viu o valor 
Deu as costas e se mandou 10 centavos de quem não se importou 
A barriga roncou 
Não é falta de méritos 
É falta de amor
O menino sentou 
Abaixou a cabeça e chorou.
Ruas
A vida continua
Na sociedade regida pelo capital 
Cruel e mortal 
O menino ora e dorme observando a lua.


Rebeca Lima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Levado pelo vento

Camisa de força

Confissões e Segredos